quinta-feira, 23 de março de 2017

Revista Alfafa: Não foi por R$ 0,20 centavos! Congresso aprova terceirização.

Revista Alfafa – Edição Extraordinária.

Não foi por R$ 0,20 centavos!
  
CONGRESSO APROVA TERCEIRIZAÇÃO


Dr. Toicinho: Carteira de Trabalho é peça de museu dos vagabundos e preguiçosos!



Teimoso:

A Revista Alfafa sempre explica detalhadamente as notícias. Ninguém fica com dúvidas. Como não sou um preguiçoso bolivariano, essa ideia de pagar 6 meses por 12 meses trabalhados é muito boa! Creio que podemos melhorar ainda mais a proposta. Que tal o pagamento de 3 meses por 12 meses trabalhados? Depois, chegaríamos a 1 mês de salário por 12 meses trabalhados. No final, poderíamos extinguir o pagamento de salários e trabalhar por amor ao patrão e à empresa.
Vou propor para a Revista Alfafa.
Não foi por R$ 0,20.

Vitória!!!

Anauê!!!

 
Dr. Toicinho, CEO do PIG desde 1939, exultante:
Acabamos com o 13º salário, férias, licença-maternidade, abono salarial, descanso remunerado, ou seja, matamos a CLT e todos os direitos trabalhistas que protegiam vagabundos e desocupados. Anauê!!! Anauê!!! Anauê!!! Anauê!!! Anauê!!!
Trabalhadores eufóricos se livraram da Carteira de Trabalho, aquele documento inútil, grande e incômodo, que não cabia no bolso de ninguém.
Agora, a natureza será respeitada, pois o ano só tem 12 meses e não havia razão para pagar o 13º salário.
Adiante, vamos aperfeiçoar o calendário e restringir o pagamento de salários a 6 meses por ano, já que o nosso querido povo quer trabalhar e não é preguiçoso, não é bolivariano, e fez passeata na avenida Paulista, batendo panelas, para liquidarmos com os direitos trabalhistas e o patrimônio nacional.
Carteira de Trabalho é peça de museu dos vagabundos e preguiçosos!
Deus apoia o fim das férias, porque "cabeça vazia é oficina do Diabo!"
Vitória!!!
Anauê!!!





Nina Simone
 
Ain't Got No, I Got Life


Confira:

Trouxinha pergunta ao Blog 'se jornada de 80h semanais é Constitucional?'


A concentração da mídia intrínseca ao capitalismo e às formas de enfrentá-la. Por Laurindo Lalo Leal Filho



































Confira também: