sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Palavras de um nazista tupiniquim ou o programa da direita segregacionista



Do subterrâneo da política emergiram seres que transitavam apenas pelas catacumbas. Trocavam ideias emboloradas com seus parcos seguidores, até que seu candidato galvanizasse os grupos conservadores e reacionários na cruzada para a segregação e a perseguição aos não-arianos.


Palavras de um nazista tupiniquim


Primeiro levem os nordestinos

Não me importo com isso

Eu não sou nordestino


Em seguida, levem alguns cariocas

Mas não me importo

Eu também não sou carioca


Depois, prendam os mineiros traidores

Mas não me importo com isso

Porque eu não sou mineiro


Depois, agarrem uns acreanos

Mas como estou distante deles

Também não me importo


Mas o que está acontecendo?

Esse mundo está invertido?

Agora estão me levando,

Logo eu, paulista da gema,

Só porque disse que nordestino deveria ser eliminado,

Qual é o problema?


Que país é este em que não se pode eliminar as raças inferiores?

Como pode o Ministério Público fazer justiça não prendendo quem merece?

Quem tem razão é perseguido?

Como eu só me importei comigo

Devo ter irritado os comunistas, gays e todos os celerados.


Definitivamente, essa história de distribuição de renda é um crime.

Esse povinho imagina que tem direito a três refeições por dia.

Daqui a pouco, os preguiçosos vão dizer que concentração de renda é injustiça. Anauê!


Cuidado com as algemas. Anauê!

Nossa, esse quartinho está apertado e cheio dessa gentinha. Anauê!

O que estou fazendo aqui? Anauê?


Um comentário: