sábado, 19 de novembro de 2011

Índices PSDB: de inflação, de truculência e de corrupção



Índices PSDB: de inflação, de truculência e de corrupção

Fonte das imagens:

As práticas repressivas da PM paulista repercutem nos índices de inflação?

Estudantes da USP são presos por reivindicar:

1. Uma política de segurança verdadeira e concreta;

2. Fim do convênio PM-USP;

3. Renúncia do atual reitor da USP;


E acrescentam:

4. Retirada dos processos administrativos e criminais contra estudantes e funcionários da USP. (Ao que consta são 43 processos contra estudantes e funcionários + 73 contra os estudantes);

5. Criação de uma estatuinte. (Proposta dos alunos da Pós-graduação - Revisão do regimento da USP: regimento disciplinar que data de 1972 e vigora até hoje);

6. Cuidado, PSDB: pare de alimentar o ovo da serpente.


Entretanto, para cumprir as ordens do governador Alckmin, a tropa de choque é acionada e distribui quantidade generosa, ou melhor, excessivamente pródiga  de cassetadas, bombas de gás lacrimogêneo e spray de pimenta.

O Estado, já pensando nas próximas manifestações, compra mais dos referidos artefatos para repor os estoques.

Resultado: os preços dos produtos de dissuasão crescem pela intensa procura, onerando os cofres do Estado e pressionando os índices inflacionários. Como o governo paulista tem reservado orçamento considerável para impedir a expressão do que ele desconsidera, cogita-se até que os índices de preços sairão do centro da meta, pois as empresas vendedoras dos artigos “cala-essa-boca” observaram exultantes os mananciais de oportunidades proporcionados por governos dessa estirpe no estímulo a seus departamentos de vendas, os quais batem seguidamente metas crescentes dos departamentos financeiros.

Estima-se, ainda, que as importações de tais produtos dispararam, incidindo no perigo, apontado por especialistas, de produzir um déficit comercial grave para o país.

Ademais, na Europa, as intervenções diretas do capital financeiro, na imposição de executivos egressos do banco Goldman Sachs, recrudescem protestos populares contra medidas antipopulares aplicadas pela banca.
Para conter as revoltas populares,  os governos fantoches da Grécia, da Itália etc., ávidos por genuflexão daqueles a quem será oferecido um sacrifício de Sísifo, adquirem acervos de materiais de sua índole ditatorial, retroalimentando a espiral de demanda dessas coisas para “calar-a-boca”. As polícias dos EUA também distribuem farta truculência e arrogância, requisitando estoques de empresas do “fique-quieto”. Ou seja, temos uma busca internacional para atender à gula do capital financeiro contra manifestações populares.

Quanto à corrupção e às mais de 100 CPIs que não podem ser iniciadas na Assembleia Legislativa de São Paulo, o aviso já foi dado aos que quiserem protestar: novo arsenal, adquirido recentemente, faz parte dos objetos de desejo da mentalidade troglodita, que não hesitará em acioná-los para impedir quaisquer contestações.

Garantido o tradicional apoio midiático, restará apenas rotular os que protestam como "maconheiros".


2 comentários:

  1. É isso aí. Tem alguém alimentando o ovo da serpente. Nome e RG: PSDB.

    ResponderExcluir