quinta-feira, 30 de junho de 2011

Crise de identidade ou de memória?



Crise de identidade ou de memória?


Réquiem para uma triste figura


Assinei sigilo eterno. Mas não sabia.
Assumi filho de outro. Também não sabia.
Afirmei coisas que desconhecia. Isso eu sabia.
Prometi o que não poderia fazer. Isso eu também sabia.

Pedi para esquecerem o que escrevi. Olvidaram-me.
Dei entrevistas inéditas. E assim permaneceram.
Falei de ilustração. Não encontraram brilho.
Fiz esforços hercúleos para aparecer. Relegaram-me ao ostracismo.

Mergulhei em meus pensamentos. Poucos cogitam sobre minha existência.
Trabalhei duro para entregar o Brasil melhor do que recebi. O povo ingrato não concordou.
Disse que ia abater a dívida pública com as privatizações. Acusam-me de ter entregado o patrimônio público na bacia das almas e ainda decuplicado a dívida interna.

Os fracassomaníacos inempregáveis querem retirar minha glória. Chamam-me de “inglório”.
Tomei as doutas decisões. A ralé assevera que entreguei o país.
No meu tempo as coisas funcionavam. Os incrédulos perguntam: para quem?

Às vésperas de minha despedida, não recebo carinhos. Apenas bajulações profissionais dos poucos que ficaram imaginando poder receber alguma réstia de meu prestígio.
Tolos me rodeiam e asseguram que sou o maior.
Pergunto-me sobre as ironias da vida e a própria me responde que é assim mesmo. “Altos e baixos”, acrescentando com crueldade, “e agora, tão baixo, que apenas os sacripantas poderão ainda lembrar-lhe de algum momento diverso desse crepúsculo”.

Acabei de perceber algo recentemente.
Olhando para o espelho, revirei os olhos em busca do sujeito que aspirei ser.
Nem mesmo a mais remota similitude pude vislumbrar.
Franzi ainda mais a testa marcada pelos anos e disparei a interrogação que borbulhava em minha mente de forma inquieta.
Como o povo vai me reconhecer se nem eu, no meu adeus, consigo me dar conta de quem eu sou?

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Parlamentar



Parlamentar







Em todas as áreas de trabalho verificamos a presença de profissionais que fazem tudo, menos a sua obrigação.


Por exemplo, há parlamentares de diversos tipos: os atuantes, os ausentes, os espertos etc.


Pensando nisso, resolvemos lançar a pergunta:


O que quer dizer "parlamentar"?


Esperto: "Parlamentar" quer dizer para aumentar o próprio salário. Vem do latim e a gente se ocupa em gastar o latim alheio. rsrsrsrs... Escuta, tá gravando? 


Ausente: "Parlamentar" quer dizer necessidade de ausência para se lamentar de algo não ocorrido, mas quem vai saber se sim ou não, não é mesmo? rsrsrsrs... Escuta, tá gravando?


Atuante: "Parlamentar" cumpre sua obrigação e representa com dignidade.




Car@ leitor@, por favor, grave isso!


Assim não lamentaremos espertos e ausentes.







O analfabeto político - Bertolt Brecht


O pior analfabeto é o analfabeto político.

Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos.

Ele não sabe que o custo de vida, os preços do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas.

O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia política.

Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política, nascem a prostituta, o menor abandonado, o assaltante e o pior de todos os bandidos: que é o político vigarista, pilantra, o corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais.




Conheça como funciona a Yuan-Mind:

A Guerra de Yuan narra a história de um intrigante personagem do futuro e de um sombrio mundo de autômatos fortemente moldados e cerceados pelos meios de comunicação, cuja função massificadora é claramente ligada à concentração de um poder central nas mãos da Yuan-Mind,  empresa que controla as engrenagens do mecanismo totalizante e esmagador de Yuan.


Privatização esportiva do dinheiro público



Privatização esportiva do dinheiro público


Você também está feliz com a conta que esse pessoal deixou para nós?



Privatização esportiva do dinheiro público


Todos os amantes da bola gostam de um bom futebol.
Mais ainda do fato de o Brasil sediar a Copa do Mundo 2014
Para o evento ser coroado de brilho, arenas esportivas estão sendo demolidas, reformadas, construídas etc.
Entretanto, no meio do caminho há caminhões de pedras.

Despudoradamente, avançam em dinheiro público.
Isenções e genuflexões à mancheias para “cumprir os compromissos do país”.
A iniciativa privada comparece com a mão estendida para sorver bilhões de reais do distinto público.
O popular Corinthians, de torcida fiel, será agraciado com pelo menos R$ 420 milhões de renúncia fiscal da Prefeitura de São Paulo, sob a alegação de levantar o estádio Fielzão.

As igrejas gozam de isenção para confortar seus rebanhos.
Pela mesma lógica, os clubes devem receber os mesmos benefícios, pois cumprem o papel de entreter e alienar os torcedores.
Assim como no caso das casas de oração, prestam relevantes serviços ao poder, impedindo as pessoas de tomarem consciência de seus reais problemas.

Alguns chegam a afirmar que a remuneração dos cartolas, bispos etc. tem um custo irrisório, dada a conveniência do efeito letárgico de suas atividades sobre os que as acompanham.
Digamos que ambos os negócios sejam apropriados ao poder.
Como não há almoço grátis, tampouco hipnose sem cobrar.

Talvez sejamos rigorosos demais.
Afinal, as pessoas precisam de anestésicos para suportar as dores da vida, como assinalou o Dr. Freud.
Nenhum problema com lenitivos.
Minha contrariedade é que isso seja financiado/subvencionado com dinheiro público.

As igrejas/clubes são empresas.
Vendem camisetas, chaveiros, revistas, livros, jornais, CDs, DVDs etc.
A preços nada módicos.
Não quero vasculhar os livros contábeis deles, mesmo porque lá não encontrarei a verdade.
Penso apenas que a educação, a saúde, a habitação etc. também necessitam, e com mais urgência, a alocação de recursos para suprir enormes demandas.




Andrés Sanchez chama Globo de gângster


Andrés Sanchez representa os interesses do clube que preside.

Nós devemos lutar pelos nossos próprios interesses.

E o interesse público está em contradição com o privado.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

domingo, 26 de junho de 2011

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Tucano é um partido abacaxi



Tucano é um partido abacaxi




Tucano é uma ave de rapina.
Isso nós já sabíamos.
A novidade é sua transformação em abacaxi.
Seus integrantes ora estão envolvidos com batinas inquisitoriais, TFP, neonazistas e reacionários diversos...
Depois, são flagrados conduzindo embriagados veículos de alto luxo e preços nada módicos, obtidos sabe-se lá como...
Logo, pedem para esquecer o que escreveram, ficam ressentidos no ostracismo, pedem a regulamentação da maconha...


Mas nada de dizer sobre a exploração do trabalho, a ausência de reforma agrária, a desigualdade social e demais mazelas histórico-sociais que auxiliaram, consolidaram ou construíram.
Como ocorreram as privatizações? Elas não abateriam a dívida pública? Por que esta decuplicou? E o patrimônio público evaporou?
Ciosos de CPI pra lá e pra cá. Exceto em São Paulo, por exemplo, cuja censura bicuda impede há anos investigações de pelo menos 100 (cem) CPIs.
Entretanto, os doutos tucanos afirmam: “Não há o que investigar. Sem CPIs.”


Apesar do intenso apoio do PIG (Partido da Imprensa Golpista), a decadência evidente do bico se faz notar mesmo pelos mais alienados.
Os elementos da cúpula de alta plumagem, a despeito de suas supostas sapiências, não cansam de meter os pés pelas mãos.
Essas pessoas não têm instinto de sobrevivência ou são muito ignorantes?
Além disso, as prepotências os inebriam.
Os caciques parecem estar ávidos por caminhar em direção ao ostracismo, lugar cuja intimidade passaram a ser experts.
Juntos, PIG e bicudos têm, ainda, muito poder e sobra desorientação.
Receita para o desastre das oligarquias nostálgicas dos 500 anos de poder no plano federal, há pouco mais de 8 anos interrompidos.

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Brasileiros dizem não ao projeto de entreguismo tucano



Brasileiros dizem não ao projeto de entreguismo tucano





Quem disse que o voto não tem força?
Quem disse que não podemos interferir na realidade?
Quem disse que não é possível evitar tragédias?
Quem disse que todos os problemas são inevitáveis como a chuva?

Quem diz coisas como essa quer deixá-lo alienado;
Quer impedir que você manifeste suas vontades;
Quer que sejamos resignados;
Quer nos impor a vontade dele e de seu grupo.

Vamos mostrar a eles, sempre, que os truques não têm mais efeito;
Que nós crescemos e nos educamos;
Que as ameaças amedrontadoras de "fim do mundo" não fazem sentido;
Que nossa rebeldia é ativa e que vamos respeitar nossa dignidade.

Eles continuarão tentando nos ludibriar;
Dirão que o Sol vai acabar se não fizermos o que eles mandam;
Acrescentarão ameaças para nos amedrontar;
Criarão fantasmas de toda ordem.

E, mais uma vez, diremos em alto e bom som: Não!


quarta-feira, 22 de junho de 2011

O que há em comum entre as taxas de desemprego e a credibilidade do PIG?



O que há em comum entre as taxas de 
desemprego e a credibilidade do PIG?





Credibilidade em junho de 2011 tem a menor taxa para o mês na história.


Deixe sua resposta para este enigma!


terça-feira, 21 de junho de 2011

Mentira: a matéria-prima do PIG



Mentira: a matéria-prima do PIG







Golpe de Estado é "revolução".

Ditadura vira "ditabranda".

Hipocrisia e cinismo são "moral e bons costumes".

Reacionários marchando são "por Deus, pela família e pela propriedade".

Distorcer e inverter os fatos é "não dá para não ler".

Ser lacaio de interesses de poderosas empresas multinacionais e nacionais é ser "a serviço do Brasil".

Perseguir, torturar e matar os opositores políticos é "liberdade".

Ser submisso e aceitar injustiças é ser "cidadão contemporâneo".

Não indagar sobre os absurdos é "hi-tech".



Sinceramente, não dê um centavo para o PIG.

As embalagens piguianas também trazem um lacinho e uma ave de rapina. Cuidado!

O PIG vai construir sua prisão e você ficará "livre" de ideias que não interessam aos associados dele.





Conheça como funciona a Yuan-Mind:

A Guerra de Yuan narra a história de um intrigante personagem do futuro e de um sombrio mundo de autômatos fortemente moldados e cerceados pelos meios de comunicação, cuja função massificadora é claramente ligada à concentração de um poder central nas mãos da Yuan-Mind,  empresa que controla as engrenagens do mecanismo totalizante e esmagador de Yuan.

domingo, 19 de junho de 2011

Os prisioneiros do PIG: depoimentos impressionantes



Os prisioneiros do PIG: depoimentos impressionantes





Impressionantes depoimentos de usuários e ex-usuários do PIG.

Alienação e desconhecimento da realidade são sintomas recorrentes entre dependentes.

Crise de abstinência provoca recuperação cerebral imediata e o raciocínio fica mais ágil, contrariando expectativas análogas com outras drogas de efeito estupefaciente.

Tragédia: relatos melancólicos dos que ainda não se livraram das substâncias piguianas.

Esperança: cientistas indicam as empresas que vendem essas drogas legalizadas, observam os efeitos deletérios provocados na mente dos usuários e na sociedade, e afirmam que a vitória progressiva sobre tais entorpecentes é resultado da educação e da conscientização que estão sendo aprofundadas no Brasil.

sábado, 18 de junho de 2011

PIG desiste de Copa do Mundo 2014 e blogueiros vão transmiti-la



PIG desiste de Copa do Mundo 2014 e blogueiros vão transmiti-la



Já que o PIG decidiu sobre a "impossibilidade da Copa do Mundo de Futebol de 2014 ser realizada no Brasil", conclamamos os blogueiros a formar um pool para transmitir ao povo brasileiro e ao mundo todos os jogos que as entidades piguianas estão negando em suas apocalípticas profecias ("sem aeroportos, sem estádios, sem bola...")

Entre outros benefícios, não teremos Galvão Bueno como locutor e os torcedores poderão interagir com as partidas utilizando recursos da TV digital e dos tabletes que se popularizarão e, na época, serão um misto de telefone, rádio, internet, tv e outras coisas que nem podemos imaginar agora.

Resolvida a transmissão democrática dos jogos, restará a todos nós brigarmos com o técnico da seleção brasileira a respeito de suas potenciais escolhas equivocadas. Daí formaremos um time para chegar às finais e levantar a taça em nossa própria casa.

De resto, é correr para o abraço e comemorar mais uma vitória popular contra a petulância do PIG.

O PIG é capacho.

O Brasil é capaz!

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Risco Brasil X Risco Estados Unidos





Risco Brasil X Risco Estados Unidos






Não há dúvidas.
O Brasil é mais confiável!
Chega de riscos desnecessários.
Vamos para um porto seguro.
Para o Brasil!
É para lá que eu vou!



quinta-feira, 16 de junho de 2011

Edgar Casto

Edgar Casto





Plagiar é seu esporte favorito.
Acredita-se esperto, que engana a todos.
Seus planos dissimulados são risíveis,
Mas ele acredita ter o rei na barriga.

Covarde, utiliza-se de interpostas pessoas para suas rusgas.
O lacaio faz o serviço sujo e recebe a gorjeta do rabugento.
O Casto Imagina ter ferido,
Quando produziu mais pena de sua figura medíocre.

Versátil, tem mil caras.
E nenhuma delas é digna.
A propósito, Casto é outra falsificação do triste impostor,
Que já se apresentou como Castelo, Correia e Cabrera.

Invejoso, tenta passar por terceiros,
Tidos como responsáveis pela infelicidade dele.
Complexos persecutórios inundam sua frágil mas venenosa mente.
A desdita é o sabor desfrutado pelo incapaz.

A vida tem suas lições.
Cruzar com tal personagem não passa de acidente.
Azar de quem é obrigado a conviver com o infortúnio
E respirar suas emanações pestilentas.


quarta-feira, 15 de junho de 2011

Sigilo eterno





Sigilo eterno





Todos têm algum segredo a ser bem preservado.
Ou apenas a pieguice que a vergonha quer afastar.
Guardamos a sete-chaves aquilo que nos parece importante.
Não importa se daqui a 5 dias ou 5 anos venhamos a rir da desimportância dele.

Todavia, não somos Matusalém.
Os dias passam e nós mesmos acabamos por contar um pouco do que estava escondido.
Ao contrário do que supúnhamos,
Não verificamos a ocorrência de abalos sísmicos em nosso interior.

Porém, homens e mulheres, na vida pública,
Não podem manter o mistério sobre suas ações indefinidamente.
“Razões de Estado” e assemelhados não podem ocultar o que se faz em nome do público,
A não ser por um tempo razoável: 20, 30, 50 anos?

O acesso de todos às decisões e circunstâncias de governantes e agentes públicos
Tende a dar transparência aos atos e maior zelo na condução dos responsáveis.
Sabemos que a impunidade é conselheira da reincidência.
Entretanto, a vigilância pode corrigir aquilo que deixou de ser inacessível.

Estado Novo, ditadura militar, e quaisquer episódios da história brasileira, expostos publicamente,
Serão fator pedagógico para nos desvencilharmos
Da herança de desmandos e arbitrariedades dos poderosos.
Prestar contas à sociedade é antídoto para o presente e o futuro contra atos repulsivos que deixarão a penumbra em breve.

terça-feira, 14 de junho de 2011

Serra e as oligarquias: reação e perspectivas



Serra e as oligarquias: reação e perspectivas


Reação diante da derrota







Dissabores e perspectivas
do candidato das oligarquias




Diante da espera de prováveis mais 8 anos, o candidato das oligarquias nacionais e internacionais, em desabafo para seus assessores mais próximos, teria confessado que ao ver o número 8 uma súbita alucinação o persegue, pois o dito algarismo deita-se e converte-se no símbolo do infinito.

Em virtude de tais relatos, os grupos que sustentam prodigamente a arca resolveram bancar a candidatura de um playboy, cujos comportamentos etílicos e morais deixaram na lona o ânimo dos mais atentos que vaticinaram o antecipado fracasso de tal empreitada.

Conta-se que os caciques das referidas agremiações já utilizaram vodu e outras técnicas heterodoxas, mas os resultados se revelaram inócuos.

Certa vidente, de grande reputação pelo seu estilo franco, profetizou sem pestanejar: "Vocês estão muito manjados. O povo gosta de novidades. O melhor é fechar as portas. Criem uma sigla nova, o povo vai achar que é diferente e aí, quem sabe, vocês voltam a ter chances."