quinta-feira, 29 de março de 2012

Adesão ao manifesto pela livre expressão e contra a intimidação praticada pelos adeptos da tortura


Adesão ao manifesto pela livre expressão e
contra a intimidação praticada pelos adeptos da tortura




Torturadores: uma vez covardes...


Não nos intimidamos.
Queremos o fim da impunidade.
Justiça, já!

Vamos assinar!




Proposta 

Este é um abaixo-assinado em solidariedade ao Levante Popular da Juventude, que realizou uma ação nacional de denúncia contra os torturadores e repressores da ditadura. 

visite o site: levante.org


O motivo

PELA GARANTIA DA LIBERDADE DE MANIFESTAÇÃO DE NOSSA JUVENTUDE 


No dia 26 de março último, o movimento social "Levante Popular da Juventude", composto por jovens de vários Estados do país, promoveu em várias cidades brasileiras, com o apoio de outros movimentos, tais como o MST, via campesina, MTD, e o Consulta Popular, manifestações públicas visando denunciar, de modo inteiramente pacífico, ex-agentes de órgãos de repressão política notoriamente acusados de haverem participado de práticas de tortura, de mortes e de desaparecimento forçado de pessoas durante o período da ditadura que oprimiu nosso povo entre 1964 e 1985. 

Tais atos de denúncia representam, antes de mais nada, a reinserção de nossa juventude no debate político democrático, tal como ocorreu quando dos movimentos "Diretas Já!" e "Fora Collor!". Agora, a parcela politicamente consciente da juventude brasileira busca contribuir para que se resgate a Memória, a Verdade e a Justiça com relação aos que, nos tempos da ditadura, perpetraram crimes de lesa-humanidade contra prisioneiros políticos.

Esses posicionamentos inserem-se no curso aberto pelo Congresso Nacional ao criar, por lei, a Comissão da Verdade, e configuram o exercício legítimo do direito de manifestação constitucionalmente assegurado. 

Assim, os abaixo-assinados expressam apoio à liberdade de manifestação pacífica do "Levante Popular da Juventude" e de outros movimentos sociais, bem como repudiam todas as formas de ameaça e de represália contra os mesmos, ou de cerceamento de seu direito de expressão, como se tem visto em declarações de acusados de violações de direitos humanos, ou mesmo absurdo do Youtube de tirar do ar, video sobre a manifestação. 

Brasil, 28 de março de 2012. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário