segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Gênesis de FHC


Gênesis de FHC


#FHCéPhDemEntreguismo

1. No princípio, FHC entregou as siderúrgicas e as telecomunicações.

2. O Brasil perdeu patrimônio e ficou mais pobre; as trevas cobriram as contas públicas e os bens da pátria foram transferidos a preço de banana. Mas FHC observava tudo com olhar blasé.

3. FHC disse: "Faça-se a Privataria!" E a Privataria foi feita.

4. FHC viu que a Privataria era boa para poucos e ruim para a maioria, e lançou a Privataria às trevas, para que nada fosse investigado do obscuro processo.

5. FHC achou pouco, e mandou privatizar mais. Sobreveio mais desnacionalização da economia, mais desindustrialização. E o desemprego cresceu e o Príncipe da Sociologia levou o país a ajoelhar-se várias vezes para pedir socorro ao FMI.

6. FHC disse: "Aumente-se o entreguismo, que ainda não foi o bastante.” E seus diligentes ministros trabalharam para atender às ordens antinacionais. E deram a Vale, a Telebras etc. Para proteger banqueiros falidos foi feito o Proer. Para atender, outra vez, os EUA, o Sivam e outras medidas foram executadas. Até tentou-se entregar o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal e a Petrobras, que mudaria para Petrobrax e seria uma empresa dos EUA.

7. FHC comprou a emenda da reeleição no Congresso, mas o STF nunca se pronunciou a respeito: não desmembrou, não fatiou, não segmentou. Nada fez. E o PIG se sentia contemplado com as medidas de seu governo.

8. E assim se fez. FHC chamou de “governo” seu descalabro. E sobreveio dia e noite, e o Brasil encaminhava-se para a bancarrota total, apesar dos elogios caudalosos da liberdade de imprimir dos órgãos piguianos.

9. FHC disse: "Que se eternize a natureza do que fizemos, pois aí ninguém estranhará tudo o que de estranho fizemos." E assim se fez.

10. FHC chamou a falência e a humilhação da genuflexão das reiteradas idas ao FMI de NORMAL, e desígnios do Consenso de Washington (que o escolheu para aplicar o ideário neoliberal) de ordens DIVINAS. E FHC viu que isso era bom para a plutocracia, mas péssimo para os pobres.

11. FHC havia escrito muitas coisas antes, mas de imediato ele disse: “Esqueçam o que escrevi. Agora só sigo o roteiro do Grande Irmão do Norte.” E assim foi feito.

12. Em função disso, o Brasil precisou ser resgatado para livrar-se das imposições do FMI, fortalecer a Petrobras, criar acesso dos pobres às universidades, aos aeroportos e outros lugares antes exclusivos de endinheirados.

13. Há muito a se fazer ainda. Porém, o país agora tem condições de encaminhar soluções para seus problemas, pois saiu do abismo demotucano.


Leia também:

O potencial de rejeição de José Serra

A reforma política do Dr. Toicinho - Capítulo 1º das reformas piguianas

Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge (The Dark Knight Rises) ou Tea Party escreve roteiros em Hollywood




Conheça como funciona a Yuan-Mind:

A Guerra de Yuan narra a história de um intrigante personagem do futuro e de um sombrio mundo de autômatos fortemente moldados e cerceados pelos meios de comunicação, cuja função massificadora é claramente ligada à concentração de um poder central nas mãos da Yuan-Mind,  empresa que controla as engrenagens do mecanismo totalizante e esmagador de Yuan.


Nenhum comentário:

Postar um comentário