terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Anhanguera: Monopólio educacional



Anhanguera: Monopólio educacional




Aviltamento das condições de trabalho;
Novas práticas de extração de mais-valia absoluta;
Hostilidade ao diálogo;
Adoção de medidas truculentas;
Necessidades do capital;
Ganhos maiores com menores salários;
Um modo de distanciar o aluno do ensino: EaD;
Ensino precarizado;
Redução extrema de custos: lucros exorbitantes;
A educação como mercadoria!



Abaixo-assinado: Carta aberta ao Ministro da Educação Aloizio Mercadante

http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoListaSignatarios.aspx?pi=P2012N20060

Manifesto contra a truculência e os lucros exorbitantes da Anhanguera Educacional Participações S/A

Carta aberta ao Ministro da Educação Aloizio Mercadante

Fórmula mágica da Anhanguera "Educacional" Participações S/A

Qualidade no ensino

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Como o PSDB trata os pobres e os ricos


Como o PSDB trata os pobres e os ricos



Para os ricos, o PSDB oferece afagos, Privataria Tucana, habeas-corpus 24h, isenção, genuflexão e o que for preciso para atender Naji Nahas, Daniel Dantas e figuras da mesma estatura moral.

PSDB: o partido dos ricos!




domingo, 22 de janeiro de 2012

PIG - Partido da Imprensa Golpista


PIG - Partido da Imprensa Golpista

“Ação da PM no Pinheirinho é para fazer prevalecer
a lei dos ricos e da ordem burguesa. A que interessa!” 

 
Dr. Toicinho, CEO do PIG desde 1939, repele com veemência denúncias de blogueiros sujos que vinculam o monopólio das comunicações no Brasil com a falta de democracia e a manipulação da mídia.

Segundo o executivo piguiano, "a imprensa brasileira é livre, pluralista, sem rabo preso, apartidária, isenta e democrática". 

Indagado sobre a razão de as notícias veiculadas nos veículos da Rede PIG diferirem tanto da realidade, o Dr. Toicinho foi categórico: "Meu filho, realidade é a que nós inventamos. Qualquer realidade, comparada à nossa, não passa de ficção de segunda categoria."

Sobre a violência policial em São José dos Campos, Dr. Toicinho, num raro momento de sinceridade, afirma que “ação da PM no Pinheirinho é para fazer prevalecer a lei dos ricos e da ordem burguesa. A que interessa! Afinal, homens de bens, como o Naji Nahas, devem ser protegidos contra a ralé, essa gente diferenciada”.

Quanto ao PSDB, o partido que promove o apartheid no Brasil, o CEO do PIG foi enfático:

"Nosso partido, ou melhor, o PSDB é um partido sério. Nele, estão nossos amigos. Não temos queixas contra o governador Alckmin, que faz tudo o que ordenamos, quer dizer, o que sugerimos."


Das profundezas dos infernos, Hitler felicita Alckmin pela ação no #Pinheirinho.



#Pinheirinho


Leia também:

PIGedredom - Cobertura total para a famiglia

Imprensa livre, pluralista, sem rabo preso, apartidária, isenta e democrática

Entrevista exclusiva com Dr. Toicinho, CEO do PIG desde 1939

Perguntas sem respostas

sábado, 21 de janeiro de 2012

Carta aberta à comunidade da USP



Carta aberta à comunidade da USP


Rodas rides again


Democracia? Vou chamar a PM para os estudantes saberem o que é democracia.
Dilapidação da pesquisa?
Repressão aos estudantes, professores e funcionários?
Medidas deletérias?
Rodas et caterva.


Na última segunda-feira, dia 09 de janeiro, um policial militar apontou uma arma para um estudante da universidade. O PM exigia que o jovem mostrasse sua carteirinha dentro do espaço de vivência do DCE. Também foi registrada uma agressão da Guarda Universitária contra outra estudante. Em nenhum dos casos, os estudantes reagiram.

Podemos dizer que os incidentes daquela semana são apenas mais um exemplo da política de segurança do Reitor João Grandino Rodas. Novamente, como no caso dos três estudantes abordados no estacionamento da FFLCH, em outubro do ano passado, a PM agiu contra os estudantes e não para zelar por sua suposta segurança. É preciso dizer: tais ações são ilegais, ferem direitos individuais básicos da nossa sociedade. Essa opinião não é apenas nossa, coincide com a apresentada recentemente pela própria ouvidoria da PM, para a qual o Convênio com a USP é insustentável.

Este último episódio foi mais grave. Uma arma foi sacada contra um estudante dentro de um espaço dos estudantes, dentro do DCE-Livre da USP! Lembramos aqui que, em 2007, quando Rodas era ainda diretor da Faculdade de Direito e ordenou que o Pelotão de Choque invadisse o prédio, muitos estudantes se refugiaram no espaço do Centro Acadêmico XI de Agosto, pois ali a PM não poderia entrar -- uma tradição desde os anos da ditadura militar. Vejam que nem esse direito histórico nos é mais respeitado!

Rodas diz que não ordenou a ação. Ora, como todos sabem, isso contraria por completo o próprio Convênio USP-PM, onde ações específicas da PM dentro do campus devem ser sancionadas antes pela própria Reitoria. Independente disso, a verdade é que, se a polícia está no campus, ela vai agir cada vez mais autonomamente, com os mesmos métodos truculentos e antidemocráticos que se reproduzem aos montes nas periferias e favelas.

Assistimos assustados nas últimas semanas uma escalada repressiva-militar em nossa sociedade: a "higienização" na região da Luz no centro de São Paulo pela via da violência policial brutal, a prisão política de 16 de estudantes em Teresina-PI, as ameaças de morte a estudantes e professores em greve na UNIR, a grave tentativa de sabotagem ao SINTUSP, a ameaça permanente de desapropriação da população da ocupação do Pinheirinho, em São José dos Campos...

O Comando de Greve dos estudantes da USP repudia tais métodos dentro e fora da universidade e se solidariza à luta nacional da juventude e dos trabalhadores!

Na USP, mais uma vez a autonomia universitária foi quebrada e outra grave advertência à comunidade uspiana está sendo dada! Se permitirmos tais ações antidemocráticas, em pouco tempo serão reproduzidas em diversas universidades brasileiras. Não podemos mais aceitar que Rodas e a PM imponham um cerco de repressão à mais importante universidade da América Latina sob pena de uma grande tragédia acontecer!

Diante dos fatos, reafirmamos com todas as letras, em alto e bom som: as aulas não começarão em fevereiro de 2012! Levantaremos a greve contra Rodas, o Convênio, as 6 expulsões e os 72 estudantes indiciados. Chamamos funcionários e professores a se integrarem nessa jornada de luta contra a repressão e pelas liberdades democráticas na USP!

Comando de Greve dos Estudantes da USP
16/01/12


O reitor da USP (Universidade de São Paulo), João Grandino Rodas, é unanimidade: todos o rejeitam

Criminosa tentativa de sabotagem no Sintusp – Sindicato dos Trabalhadores da USP

Agressão policial na USP: "Eu sou policial."

Terceirizados da USP: Laboratório do PSDB para revogação de direitos trabalhistas

Para entrar na USP

Índices PSDB: de inflação, de truculência e de corrupção

Ensino a Distância. Mantenha Distância.

Fórmula mágica da Anhanguera "Educacional" Participações S/A

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Estupro? A gente vê por aqui!


Estupro? A gente vê por aqui!



Indigência mental e moral
No zoológico humano global.
Futilidades às mancheias,
Não podiam faltar desonras alheias.

A concessão pública é explorada para ganhar fortuna,
Fraudes, delitos e desgraças da miséria humana.
Ensino não tem vez,
Então banaliza tudo outra vez.

Estupro e desrespeito aos direitos humanos
É regra de sádicos e seus atos debaixo dos panos.
Negociatas e transações com mafiosos
Para garantir boa vida aos gananciosos.

Apoiou a ditadura militar desde o nascedouro
Para poder cobrar juros e dividendos a peso de ouro.
É protagonista da máquina do PIG e de suas ilusões
Para arrancar o que quiser de políticos vendilhões.

Mas até mesmo o João,
Otário de plantão,
Acorda do berço esplêndido e, de forma contundente,
Cobra justiça por não ser demente.

O jogo acabou, Bial.
Chega de au-au, de miau ou escambau,
Basta de imposturas e embromação!
Seu lixo cultural só é comprado por falta de educação.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Tucano Pictures – apresenta: Espionagem de manifestantes



Tucano Pictures – apresenta:

Espionagem de manifestantes





Depois de as estatísticas apontarem a erradicação de todos os tipos de crimes no Estado de São Paulo, governado pelo PSDB há mais de 20 anos, os tucanos, do alto de sua eficiência, resolveram retirar do tédio reinante nas repartições da PM paulista os policiais para uma atividade mais dinâmica e prazerosa.

Segundo nota oficial do chefe da tropa, a espionagem de manifestantes tem por objetivo “estimular o lado lúdico do militar e, eventualmente, descobrir na corporação a presença de um Steven Spielberg, reconhecendo publicamente um talento que ficaria escondido nas salas burocráticas”.

Com especial dedicação, esses potenciais cineastas hollywoodianos focalizam manifestantes, em pleno uso de sua cidadania, participando de atos contrários a medidas repressivas governamentais.

Como na ditadura militar, os artistas da PM fotografam e filmam os movimentos das pessoas, os cartazes que elas portam, bem como gravam o que elas dizem quando se aproximam da barraca do pipoqueiro, pois esta seria uma atitude subversiva clássica para fazer apologia marxista junto a indivíduos da classe trabalhadora.

Ciosos do dever, PMs efetuam os enquadramentos teleguiados pelo comandante das operações, que, por sua vez, recebe ordens do Palácio dos Bandeirantes para montar na ilha de edição da Tucano Pictures o roteiro do complô realizado pela “gente diferenciada”, integrada por trabalhadores de diversas atividades profissionais.

Mas segundo o tenente-coronel Pau-de-Arara, da equipe de produção Tucano Pictures, o governador estaria contrariado especialmente com os blogueiros sujos, cujos membros teriam rompido o cerco midiático e divulgado a existência do livro A Privataria Tucana, que registra os bastidores do maior roubo da história do Brasil, além de conter documentação vastíssima dos principais envolvidos na pilhagem contra o povo brasileiro.

PS. Quando o Ministério Público exigirá explicações da Polícia Militar e do governo paulista sobre as atividades de espionagem de manifestantes em plena democracia?

Criminosa tentativa de sabotagem no Sintusp – Sindicato dos Trabalhadores da USP



Criminosa tentativa de sabotagem no
Sintusp – Sindicato dos Trabalhadores da USP

Quinta-feira (12) pela manhã, quando dois funcionários adentram a sede do sindicato para dar inicio a mais um dia de expediente, constatam um forte cheiro de gás, em seguida, surpreendessem quando identificam um enorme vazamento em virtude de todos os botões do fogão industrial, localizado na cozinha, estarem abertos.
Minutos mais tarde, outro funcionário ao abrir sua sala para também dar inicio ao seu trabalho, nota que pastas e documentos de uso interno estão espalhados no interior da mesma.
Todo o episódio ocorre sem a violação de qualquer dos cadeados de entrada e fechadura de portas que dão acesso a entidade e salas internas!
Ressaltamos que, como de costume, todo o espaço fora vistoriado no dia anterior, antes de seu fechamento e que tudo se encontrava devidamente normal.
Estranhamente (no final da tarde do dia anterior) foi observado por funcionários e estudantes a presença de vigilantes da empresa EVIK e Policiais à paisana, nos arredores do sindicato.
A sabotagem foi registrada em BO – boletim de ocorrência na Central de Segurança da USP e no 93º Distrito Policial, Jaguaré.
A Diretoria do Sintusp encaminhou oficio a reitoria da universidade comunicando os fatos. É importante ressaltar que os cadeados e fechaduras do sindicato não foram arrombados.

Lembramos que tudo isto acontecesse depois de:

Dia 6 - Uma estudante grávida ter sido agredida (por “agentes” da guarda universitária na presença de policiais militares) e depois acompanhada, por diretor do sindicato, ao 91º Distrito Policial para registro de boletim de ocorrência e exame de corpo de delito.
Dia 9 - A intervenção de diretores do Sintusp (no caso Nicolas - estudante da USP espancado pelo sargento PM André Ferreira, no espaço do DCE/USP) e acirrada discussão com os policiais e guardas universitários, evitando a continuidade das atrocidades.
Dia 9 – Publicação na Revista Fórum (jan/2012) sobre espionagem na USP. Com apresentação de documentos que a Revista teve acesso, como, relatórios de agentes infiltrados em reuniões da diretoria do sindicato, da Associação dos Docentes da USP, reuniões e assembleias de estudantes e funcionários, além do monitoramento de médicos e funcionários do Hospital Universitário e até Diretores de Unidades da Universidade.
Dia 10 – entrevista coletiva do estudante Nicolas a diversas emissoras de TV, falando sobre a agressão e ação policial e de “membros” da guarda universitária. Gravação sugerida e organizada por diretores do Sintusp.
Até o momento não constatamos a perda ou furto de nenhum documento ou objeto de valor, o que evidencia que esta atitude criminosa que colocou em risco a vida dos funcionários, dos diretores e estudantes que frequentam o espaço só pode ser explicada por motivações políticas.
Este é o último capitulo de uma tragédia anunciada pela assinatura de um convênio que perpetua a PM em nossa universidade, como parte de uma verdadeira ofensiva repressiva feita por parte da reitoria e do governo, que se da através de processos administrativos, criminais e ações de espionagem contra os diretores e ativistas do sindicato e estudantes que lutam em defesa de uma educação pública, gratuita e de qualidade para todos.
Assim, denunciamos esta criminosa atitude de ataque ao Sintusp e responsabilizamos a reitoria e o governo pela integridade física de todos.
Finalmente, pedimos as entidades sindicais, populares, estudantis, intelectuais e parlamentares a manifestarem repudio a mais essa ação criminosa e devida apuração dos fatos, consequentemente, a responsabilização de seus autores, encaminhando esses pedidos para:


Secretaria Estadual de Segurança Pública/SP
secretário Antônio Ferreira Pinto

Reitoria da Universidade de São Paulo
reitor João Grandino Rodas

Ministério Público do Estado São Paulo
procurador-geral de justiça Fernando Grella Vieira

Presidente da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo
deputado Barros Munhoz


com cópia para o: 
Sintusp - Sindicato dos Trabalhadores da USP
sintusp@sintusp.org.br

Diretoria Colegiada Plena

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Cada um dá o que tem



Cada um dá o que tem



Os impérios nazifascistas mostram suas torpezas com orgulho.
Afinal, cada um dá o que tem.


1. Soldados dos EUA, numa sinistra e ensaiada coreografia, urinam sobre cadáveres de afegãos;


2. Obama mantém Guantánamo e o estado de exceção para os “suspeitos”; não satisfeito em atender às pressões de grupos conservadores, incrementa a doutrina de operações secretas (atos de sabotagem, guerra cibernética e ataques fulminantes a alvos específicos);



3. PIG antecipa 2016, e, olimpicamente, ignora A Privataria Tucana, o maior roubo da História do Brasil;








4. Em completa impunidade, indústrias de diplomas aviltam salários de professores, demitem em massa e ainda são agraciadas com bilionários subsídios públicos para continuar a produzir a péssima qualidade de cursos reprovados pelas próprias avaliações oficiais;





5. Em sintonia com práticas nazistas, soldados espancam pobres, negros, nordestinos etc. na USP, na Cracolândia e em quaisquer lugares onde sejam “indesejáveis”.





quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Lobotomia 24 horas



Lobotomia 24 horas




Você jamais deve ler A Privataria Tucana!

Isso está fora de cogitação!

Muito menos esses blogueiros sujos.

Tem permissão apenas para ver a Rede Globo e os seus programas edificantes, como o BBB.

Leia muito a Folha de S. Paulo, o Estadão e, principalmente, a Veja.

Assim você será o imbecil que o PIG necessita para manipular com facilidade.


Patrocínio: Poder financeiro, oligarquias, reacionários de todos os naipes, Tea Party...



CPI da Privataria Tucana e os Ets

Dr Toicinho pede asilo em 2011

Marte repudia provável invasão tucana

O PIG e as enchentes


Conheça como funciona a Yuan-Mind:

A Guerra de Yuan narra a história de um intrigante personagem do futuro e de um sombrio mundo de autômatos fortemente moldados e cerceados pelos meios de comunicação, cuja função massificadora é claramente ligada à concentração de um poder central nas mãos da Yuan-Mind,  empresa que controla as engrenagens do mecanismo totalizante e esmagador de Yuan.
 

Professor Safatle (USP) critica PIG e suas mistificações



Professor Safatle (USP) critica PIG e suas mistificações


Contribuições de um amigo oriental:

1
Professor Safatle (USP) e as mistificações do PIG


2
Preserve seu cachorro vivo.
Caso apareça um PM, disfarce o animal de tucano.




SP: PM mata a tiros cachorro de morador de rua e revolta vizinhos

PM não gosta de estudante universitário (da USP-FFLCH, principalmente), de vítimas do crack e até de cachorro! 

Mataram um cachorrinho em um bairro com nome sugestivo: Liberdade

Quem tem cachorro precisa disfarçá-lo de tucano, senão...
                                                                                                                            

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Bens de consumo são mais caros no Brasil por causa da ganância, não dos impostos



Bens de consumo são mais caros no Brasil
por causa da ganância, não dos impostos


A ladainha da Urubóloga é que os automóveis, eletroeletrônicos e outros bens são caros devido aos impostos.

Na realidade, conforme o vídeo acima, é a ganância a causa de preços imensamente superiores no Brasil em comparação aos outros países.

Espalhe a notícia e envie para seus amigos, para o governo, para as concessionárias etc.

Todos devem saber que a exploração abusiva dos capitalistas nacionais e multinacionais não é mais tolerada pela sociedade.

Venderam o mito dos impostos como gerador do fenômeno de preços altos.

Mas foram desmascarados com as margens de lucros exorbitantes e imorais.