domingo, 28 de outubro de 2012

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Máximas do jornalismo piguiano - O que não interessa, não convém; logo, não é notícia. Principalmente quando...



Máximas do jornalismo piguiano
O que não interessa, não convém; logo, não é notícia.
Principalmente quando...

Prioridades demotucanas

1. Dona Maria começa a diversificar suas fontes de informação e deixa de seguir o PIG.

Dona Maria: "Eu não sou desinformada. Tenho lido uns blogs por aí e desliguei da Globo. De jeito nenhum voto no Serra. Meu voto é do Haddad!"

2. Lula vira colunista do New York Times.

3. Grupo Folha, da família Frias, deve pagar R$ 73 milhões à União por vazamento do ENEM.

4. Haddad abre 16 pontos na pesquisa Ibope, encomendada pela Rede Globo e não mencionada no Jornal Nacional.

5. Mensalão tucano mofa no STF.

6. "Postes" são campeões de voto.

7. 60 milhões de sigilos bancários são violados pela filha de Serra.

8. Controlar precisa explicar diferença de R$ 1 bilhão.

9. Aref tem mais de 107 imóveis. Isso se chama “livre iniciativa”.

10. É para falar de malfeitos do PSDB. “Este não corrompe, nunca!” Quando é o PSDB, o "domínio dos fatos" muda e vira "persuasão financeira".

11. É para revelar a dimensão da rejeição do #Coiso.

12. É para reconhecer que Serra é antiecológico até no nome!


Leia também:

Arquirrejeição derruba Serra ainda mais

SP não sERRA - #PrivatariaTucanaNuncaMais


Arquirrejeição derruba Serra ainda mais



Arquirrejeição derruba Serra ainda mais

Rejeitômetro excede todos os limites

Quem disse que Serra não se superaria?

Sua intolerância é cada vez maior.

Discute continuamente com jornalistas que não o bajulam.

Promove discurso homofóbico em parceria com o Pastor Malafaia.

Como a arquirrejeição do candidato demotucano aumentou ainda mais, Serra pode receber no 2º turno menos votos do que no 1º turno.

terça-feira, 16 de outubro de 2012

SP não sERRA - #PrivatariaTucanaNuncaMais


S P  não  s E R R A

#PrivatariaTucanaNuncaMais







Lei também:

Pitacos de primeira na 2ª feira
Serra&Kassab: Cia. dos MalafaiaSemAlça
Dupla rejeição popular recorde.

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

A nova pirâmide do capitalismo


A nova pirâmide do capitalismo


Leia também:

Pitacos de primeira na 2ª feira
Serra&Kassab: Cia. dos MalafaiaSemAlça
Dupla rejeição popular recorde. 

Pitacos de primeira na 2ª feira


Pitacos de primeira na 2ª feira


Dupla rejeição popular recorde

1. Faltando apenas 2 semanas para o 2º turno, Serra resolve lançar programa de governo.
Principais propostas já foram antecipadas pelo #MalafaiaSemAlça

2. @PastorMalafaia Silas Malafaia Pagto pode ser em cheque pré ou cartão
Consultora contábil responde as dúvidas dos internautas
#Receita

3. Serra/Alckmin: “Não vai ter pedágio!”
Pedágio! Pedágio! Pedágio!
Praças de pedágio infestam o Estado de São Paulo nas gestões tucanas.
#PragaTucana

4. Aref, investigado por sua evolução patrimonial (107 imóveis), é um exemplo de êxito pessoal das administrações demotucanas.

5. #DrToicinho: “Pastor Malafaia, reconhecido por sua notável educação, ser símbolo da tolerância entre as pessoas e seu preparo intelectual irreparável, merece ingressar na Academia Brasileira de Letras e sentar-se ao lado de nosso imortal mervalino acadêmico, dotado dos mesmos predicados.”

5.1 #DrToicinho encontrou alguém da estatura intelectual do Merval para a ABL. 

5.2 Ser convidado para integrar uma ABL (que tem Merval) para um escritor sério é um insulto.

5.3 Machado de Assis exige desfiliação póstuma!

5.4 Vamos criar uma ABL que honre Machado de Assis?

6. Se soubessem que o Apocalipse viria com o Pastor Malafaia, organizadores do prêmio "IgNóbil de subliteratura" teriam inscrito a tragicomédia

7. Pastor Malafaia ganha "Prêmio IgNóbil" pelo conjunto da obra.
Ele é a referência intelectual e moral de José Serra.
#Obscurantista
#Medieval

8. Pastor Malafaia e Serra defendem ideias mofadas e truculentas.
São Paulo quer renovação e limpeza.
#Haddad13
#OndaVermelha

9. Pastor Malafaia é só mais um dos defeitos especiais do Serra.

10. Malafaias com quem andas, Serra, e te direi quem és!

11. Pastor Malafaia é o porta-voz do atraso, ou seja, de José Serra .

12. Serra não sabe mais como parar o destampatório do Malafaia sem alça, um de seus quadros mais "sofisticados". Quem mandou dar corda, Coiso?

13. Serra é um político "sui generis". Quando uma proposta dele não dá certo, a população respira aliviada.

14. #PrivatariaTucana: O maior assalto da História do Brasil!

15. Serra quando se recicla fica pior do que antes, o que não é pouco.

16. A FSP já respondeu quando paga ao Inep a multa por ter deixado ocorrer o vazamento de questões do Enem da gráfica dela?

16.1 E nem que a Folha feche, ela deve pagar ao Inep R$ 73.491.621,50, a dívida da Gráfica Plural/Folha.
Obediência às leis!
Pague, Frias!
#Enem

17. Serra é antiecológico ou 666

18. Geraldo Alckmin: “Ele é de nossa total confiança!”
Superfaturamento com Fundação da editora da Marginal. Tucanos devem ressarcir R$ 11,5 milhões

19. Analfabetos funcionais em doutrina democrática, juízes do STF querem submeter Legislativo e reinar por arbitrariedades.

20. Ciência Política Tucana III.

21. Serra aplica lições de FHC do “Curço de Injenharia Pulytika á Distanssia” para salvar a direita brasileira.


22. É um prazer colaborar para a saúde mental e material de São Paulo.
Excelente semana a todos/todas!
#OndaVermelha
#Haddad13

As 10 estratégias de manipulação midiática

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Universidade de São Paulo está na contramão de várias reivindicações dos movimentos em defesa da saúde e contra a criminalização e a repressão



Universidade de São Paulo está na contramão de várias reivindicações dos movimentos em defesa da saúde e
contra a criminalização e a repressão



USP e medidas regressivas


Moção aprovada na Plenária Final do 25º Encontro Nacional de Estudantes de Psicologia, ocorrida no Centro Cultural da Universidade Federal do Mato Grosso (Cuiabá-MT), no dia 21 de Julho de 2012

O Pregão 12/2012 da USP visa “a contratação de empresa para a Prestação de Serviços de Assistência Médica, destinados à Internação Psiquiátrica, Voluntária ou Involuntária de pacientes portadores de transtornos psiquiátricos e/ou transtornos psiquiátricos decorrentes de Droga ou Álcool Dependência, que demandem este regime de tratamento, destinados a docentes, servidores técnico administrativos e alunos da UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO”. Esse processo mostra como a Universidade de São Paulo está na contramão de várias reivindicações dos movimentos em defesa da saúde e contra a criminalização e a repressão. Enquanto debatemos como é problemático o modelo psiquiátrico de internações, a USP pretende começar a usá-lo para sua comunidade interna. Enquanto debatemos o problema das privatizações nos serviços de saúde, a USP pretende contratar uma empresa privada para lidar com a saúde mental de seus estudantes, funcionários e professores. Enquanto debatemos a necessidade de descriminalização e despatologização do consumo de drogas, a USP coloca o usuário como passível de uma internação involuntária. Portanto, os estudantes de Psicologia de todo o Brasil, reunidos no XXV ENEP, repudiam essa licitação e as políticas relacionadas a ela realizadas pela reitoria da USP.



CONTRATANTE: UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO.
CONTRATADA: ASSOCIAÇÃO MANTENEDORA JOÃO EVANGELISTA
OBJETO: Prestação de Serviços de Assistência Médica, destinados à Internação Psiquiátrica, Voluntária ou Involuntária de pacientes portadores de transtornos psiquiátricos e/ou transtornos psiquiátricos decorrentes de Droga ou Álcool Dependência, que demandem este regime de tratamento, destinados a docentes, servidores técnico administrativos e alunos da Universidade de São Paulo.
VALOR TOTAL: R$ 643.005,90

VICE-REITORIA EXECUTIVA DE ADMINISTRAÇÃO
DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO
Divisão de Material
Extrato de Contrato
PROCESSO: - 2012.1.7166.1.3 ? Vol. I e 2012.1.15545.1.0 ? Vol. II
CONTRATANTE: UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
CONTRATADA:LM TRANSPORTES SERVIÇOS E COMÉRCIO LTDA
OBJETO: Prestação de Serviços de Transporte mediante Locação de Veículos
VALOR DO CONTRATO: R$ 17.949.795,00
VALOR MENSAL: R$ 1.495.816,25
CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL PROGRAMÁTICA:
12.364.1043.5304
CLASSIFICAÇÃO DA DESPESA ORÇAMENTÁRIA: 3.3.90.33.43
DATA DA ASSINATURA: 06/08/2012
VICE-REITORIA EXECUTIVA DE ADMINISTRAÇÃO
DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO
Divisão de Material
Extrato de Contrato
PROCESSO: 2012.1.12017.1.2 ? I Volume.
CONTRATANTE: UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO.
CONTRATADA: ASSOCIAÇÃO MANTENEDORA JOÃO EVANGELISTA
OBJETO: Prestação de Serviços de Assistência Médica, destinados à Internação Psiquiátrica, Voluntária ou Involuntária de pacientes portadores de transtornos psiquiátricos e/ou transtornos psiquiátricos decorrentes de Droga ou Álcool Dependência, que demandem este regime de tratamento, destinados a docentes, servidores técnico administrativos e alunos da Universidade de São Paulo.
VALOR TOTAL: R$ 643.005,90
CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL PROGRAMÁTICA:
10.302.1042.5274
CLASSIFICAÇÃO DA DESPESA ORÇAMENTÁRIA: 3.3.90.39.99.46
DATA DA ASSINATURA: 01/08/2012


UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
REITORIA
VICE-REITORIA EXECUTIVA DE
ADMINISTRAÇÃO
DIVISÃO DE MATERIAL
AVISO DE LICITAÇÃO ? PREGÃO PRESENCIAL Nº 18/2012 - RUSP
PROCESSO Nº 2012.1.12017.1.2
A REITORIA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO, torna público aos interessados, que realizará licitação na modalidade de PREGÃO PRESENCIAL sob n.º 18/2012 - RUSP no dia 18/06/2012, às 11:00 horas, cujo objeto é a Prestação de Serviços de Assistência Médica, destinados à Internação Psiquiátrica, Voluntária ou Involuntária de pacientes portadores de transtornos psiquiátricos e/ou transtornos psiquiátricos decorrentes de Droga ou Álcool Dependência, que demandem este regime de tratamento, conforme especificações e condições constantes do Edital e seus Anexos, que estará à disposição dos interessados no seguinte endereço: Rua Maria Coelho Aguiar, 215 ? Bloco B ? 8º andar ? Seção de Compras - CENESP ? São Paulo ? SP ou no site da USP: www.usp.br/licitacoes.


Descrição: https://mail.google.com/mail/images/cleardot.gif

Dr. Toicinho defende enfaticamente entrada do Pastor Malafaia na Academia Brasileira de Letras


Dr. Toicinho defende enfaticamente entrada
do Pastor Malafaia na Academia Brasileira de Letras

Desmoralização total da ABL
Primeiro foi o mervalino piguiano; agora, o Pastor Malafaia

Em trajes militares, Dr. Toicinho, CEO do PIG desde 1939, faz "lobby" para Pastor Malafaia ingressar na ABL- Academia Brasileira de Letras.

“Pastor Malafaia, reconhecido por sua notável educação, ser símbolo da tolerância entre as pessoas e seu preparo intelectual irreparável, merece ingressar na Academia Brasileira de Letras e sentar-se ao lado de nosso imortal mervalino acadêmico, dotado dos mesmos predicados.”


Leia também:

PIG de Fardão #NinguémMerece


Pitacos do feriado

1. Porque o PIG chora: Redução da Selic significa perdas de mais de R$ 100 bilhões aos rentistas. Derrota de Serra, centenas de milhões em assinaturas das publicações piguianas, como as da revista da Marginal.
#PIG

2. Economia popular pode chegar a mais de R$ 500 bilhões, considerando a queda dos spreads bancários e a da Selic.

3. Consequências jurídicas das decisões políticas STF

4. Pastor Malafaia ganha "Prêmio IgNóbil" pelo conjunto da obra.
Ele é a referência intelectual e moral de José Serra.
 #Medieval
#Obscurantista

5. Hostes tucanas estão tendo muitos faniquitos ultimamente.
Serão os efeitos antecipados da previsível derrota eleitoral?
#PrivatariaTucana

6. Patriotismo da família Frias foi a razão de levar soldados do DOI-CODI para passearem nos carros da Folha.
#SemVotos
#EspecialistaEmGolpes

7. #DrToicinho, num ato falho: "Sigilo da família piguiana não pode ser bisbilhotado, senão vão saber de tudo o que fizemos."
#PIG

8. Setúbal quer Dilma fora em 2014,
via @brasil247
Caro leitor(a), já fechou sua conta Itaú/Unibanco hoje?
#lamúria$rentistas

9. Serra teria pedido a "imortal" piguiano para fazer lobby pela indicação do "ilustre" Pastor Malafaia para Academia Brasileira de Letras.

10. Malafaias com quem andas, Serra, e te direi quem és, hipócrita!
#PrivatariaTucana
O maior assalto da História do Brasil!

11. Folha da Oligarquia - Um jornal a serviço do capital.
"Escravidão moderniza relações de trabalho."
#VanguardaDoAtraso

12. Favor não mexer no ninho da dinheirama paulista.
Negócio da China no Caribe!

13. STF é condescendente com tucanos.
"FHC não comprou votos para a reeleição. Ele persuadiu financeiramente." #Novilíngua




14. Ideias ultrapassadas.
PSDB é a vanguarda do atraso.

15. Dr. Toicinho, em sua juventude, ouvindo os clamores da TFP.
O eleitor típico do Coiso

16. O PIG e as enchentes
PSDB aguentaria 15 segundos da artilharia que o PIG vem devotando ao PT nos últimos 10 anos?

17. Marte repudia provável invasão tucana
Derrota é mortal para demotucanos.
#RejeiçãoInterplanetária

18. Serra contra os direitos dos homossexuais.
Coiso, além de planejador da #PrivatariaTucana, é intolerante e obtuso.

19. É possível esconder A Privataria Tucana?
#PrivatariaTucana
#MinistrosdoSTF
#JáLeram?

20. “Não sei o que acontece, Toicinho. Veja tudo o que fizemos e não conseguimos ganhar a eleição.”

21. “Acho melhor trocarmos de povo e nos livrarmos de vez dessa gentinha diferenciada.”

22. "Com provas contundentes e inegáveis, sendo do PSDB, as provas não existem e são fantasiosas. Do PT? Sem provas, é culpado. Tô na Globo?"

23. "Esse PT golpista ganha 3 eleições presidenciais seguidas e o povo parece querer dar um 4º mandato com mais votos ainda. Golpe! Golpe! Golpe!"
Jogral #PSDB
Coro #STF

24. Tucano pensa que ficará impune para sempre, que "tá liberado" para bicudo. Espera só uma coisa.
#PrivatariaTucana

25. A palavra do Coiso, dita ou assinada, não vale nada!

26. Gênesis de FHC
A origem
No princípio, FHC...

27. A reforma política do Dr. Toicinho - Capítulo 1º das reformas piguianas

28. Campanha deixe ministros do Supremo Tribunal Federal bem informados.

Quando ministros do STF estiverem dando entrevistas para o PIG, ofereça a eles exemplares do livro A #PrivatariaTucana
#JáLeram?

29. Haddad diz que DNA do mensalão é do PSDB. Serra conhece cada composto orgânico demotucano que contém as instruções genéticas da #PrivatariaTucana

30. Vamos fazer São Paulo respirar arte, alegria e gosto de viver!

♫ AGORA CHEGOU A VEZ VOU CANTAR ♪ ♫ 
♪ ♫ #HADDAD É 13 EM 1º LUGAR ♫

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Teorias do teatro - estudo histórico-crítico dos gregos à atualidade Marvin Carlson. Inventário do pensamento teatral - Resenha de Maria Sílvia Betti



Teorias do teatro - estudo histórico-crítico dos gregos à atualidade - Marvin Carlson 

Inventário do pensamento teatral - Resenha de Maria Sílvia Betti



Maria Sílvia Betti

O livro de Carlson constitui-se num oportuno estímulo no sentido de recuperar, para o debate sobre a arte teatral, todo um riquíssimo veio analítico e interpretativo de elaborações críticas produzido ao longo da história do teatro no Ocidente.

No percurso teórico abrangido —de Aristóteles até as teorias pós-estruturalistas e feministas dos anos 80—, Carlson manipula confortável e fluentemente um imenso número de trabalhos e fontes de referência, acompanhando o desenvolvimento paralelo de estudos gerais de áreas como a poesia, a teoria literária e a história.

Via de regra sua abordagem evita explicitar visões pessoais, parecendo querer ostentar uma suposta neutralidade. É inevitável, porém, que em alguns trechos essa intenção fique involuntariamente comprometida em função do fato de o próprio discurso construir-se a partir de uma perspectiva em parte europeia e em parte anglo-americana. É o que ocorre, por exemplo, no tocante à ausência praticamente total de menções a quaisquer formas de reflexão crítica pertinentes ao universo cultural pós-colonial ou ao Terceiro Mundo. Carlson contenta-se, a esse respeito, com a referência ao "latino-americano" Augusto Boal, centrada na menção a seu "Teatro do Oprimido" e às teorizações relativas ao Sistema Coringa, sem quaisquer outras referências a trabalhos posteriores do autor ou à maneira como ele leva adiante ou reformula muitos dos conceitos que elaborara nesses trabalhos.

Sob a perspectiva dos blocos temáticos abordados, o ponto de partida é o estabelecimento de um roteiro geral das formulações desenvolvidas no tocante à tragédia no interior da tradição crítica europeia. A ampla e diversificada gama de reflexões desenvolvidas no século 20 é assinalada, em seguida, mediante o levantamento das reflexões registradas no interior de campos tão diversos como os da psicanálise (Freud, Jung), da filosofia (Jaspers, Husserl, Sartre), da literatura (Albert Camus), da crítica literária (George Steiner, Roland Barthes), da antropologia (grupo de Cambridge), da crítica política e sociológica (Lukács) e da própria dramaturgia (Tchekhov, Shaw, Wilde, Dürrenmatt, Eugene O'Neill, Brecht).

Mais de um terço do livro é dedicado a esse levantamento de teorias e propostas produzidas no século 20. O grande fio condutor, neste caso, é a abordagem das concepções de Stanislavski, Brecht e Artaud, que Carlson considera os teóricos fundamentais do século. O trabalho de Stanislavski é apresentado com ênfase na ressonância obtida por seu método de trabalho na América, especialmente após a publicação de "A Preparação do Ator", sob a égide de seus amigos Norman e Elizabeth Hapgood, em 1936, dois anos antes da publicação da versão final do texto na Rússia.

Brecht é apresentado como "o teórico que mais se ocupou da dimensão social e política da arte". A visão dos escritos teóricos brechtianos é apresentada a partir de três textos básicos: as notas introdutórias à ópera "Ascensão e Queda da Cidade de Mahagonny", o "Pequeno Organon", que considera o mais consagrado resumo da teoria brechtiana, e os "Diálogos Sobre o Comércio de Latão". A complexidade das concepções brechtianas é registrada, paralelamente, a partir da controvérsia com Lukács nos anos de 1937-38 no jornal "Das Wort", editado em Moscou como fórum internacional antifascista e como campo de debate das novas teorias literárias soviéticas.

A abordagem das concepções de Antonin Artaud procura ressaltar, desde o início, o teor de diversidade que as formulações deste viriam a desempenhar quanto às brechtianas. Para Carlson, Brecht visa essencialmente ao raciocínio e à análise, enquanto Artaud encara o pensamento discursivo como barreira para a liberação do espírito, "aprisionado às cadeias do corpo".

Observando a radicalização do pensamento do autor após 1936 -precisamente quando este desenvolve um trabalho mais fortemente voltado para o corpo como elemento expressivo e erradica a palavra como centro irradiador de sentido-, Carlson a seguir rastreia toda uma descendência teatral e teórica de base artaudiana, passando por Grotowsky (defensor da ideia do ator arquetípico, com ênfase sobre a relação espectador-espetáculo), por Arrabal (ligado à realização do teatro-pânico, vinculado, paralelamente, a Jarry, ao dadaísmo e ao surrealismo), por Tadeusz Kantor (com a idéia de "teatro autônomo" ou de "teatro zero", despreocupado em sugerir interpretações ou simbolismos) e por Peter Brook (que postula a primazia do diretor e vê em Artaud uma forma "sacra" de realização teatral); no que se refere a grupos teatrais, passa pelo Living Theatre (combinando a ideia de luta contra a opressão política com a do impacto dramático prescrito por Artaud como tentativa de libertação do indivíduo) e pelo American Theatre of the Ridiculous (fascinado com a ideia da teatralidade sob o prisma da perversão).

O segmento final do livro, intitulado "O Século 20 a partir de 1980", procura rastrear as principais diretrizes de discussão do teatro em vertentes teóricas diversificadas. Em termos sucintos, Carlson procura delinear as características principais do universo teórico sob a forma de inventário de suas principais frentes: a da pesquisa semiológica (Pavis e Erika Fichter-Lichte), a da teoria da recepção (Hans Robert Jauss) e a da perspectiva desconstrutivista (Jean Alter).

O vasto e complexo inventário das "Teorias do Teatro" encerra-se com um mapeamento das metodologias de análise mais recentes e mais diretamente ideológicas: aí se situam o materialismo cultural britânico, no qual se destaca Raymond Williams, o "new historicism" (de Stephen Greenblatt e Stephen Mullaney), rico em abordagens de Shakespeare e em análises do papel do teatro dentro das relações de poder, e as diversas vertentes do pensamento crítico feminista, cuja inserção foi feita na edição revista e ampliada que serviu de base ao texto publicado em português.

Em tempos como os nossos, em que a crise do capitalismo e das utopias produz a inconsistência econômica e a fragmentação cultural, o livro de Carlson é sem dúvida um excelente estímulo ao debate acerca de todas as contribuições que o teatro tem apresentado ao debate de ideias de nosso tempo.

Maria Sílvia Betti é professora de teatro no Departamento de Letras Modernas da USP e autora de "Oduvaldo Vianna Filho" (Edusp)