quinta-feira, 14 de março de 2013

McWorld? Não, obrigado.


McWorld? Não, obrigado.



O ritmo da vida moderna imposto pelos interesses das grandes empresas fere a saúde da maioria das pessoas porque evita que as relações se tornem mais profundas.

Quando comemos apressadamente, sem respeitar nossas necessidades biológicas e o descanso de nosso corpo, e imediatamente voltamos ao trabalho para aumentar a produção, algumas coisas estão muito erradas.

Somos idiotas quando pagamos caro por uma alimentação pobre e prejudicial. Ademais, roubam nosso tempo de convívio, de trocar ideias e falar sobre os sentimentos, as alegrias, dificuldades ou simplesmente ver pessoas queridas e namorar.

Além disso, quando comemos em lanchonetes “fast food”, damos apoio a proprietários que exploram trabalhadores como escravos, pois pagam salários miseráveis e degradantes. Lucros no céu, salários no inferno.

Mas não é só isso. As políticas dessas empresas em questões de meio ambiente são inconsequentes e predatórias, pois descartam recursos sem considerar as necessidades das próximas gerações e a capacidade da natureza de suportar agressões que escalpelam suas reservas e a obrigam a engolir o lixo do “junk food”.

Se você evitar os “arcos dourados” do McDonald’s e similares — porque você sabe que lá não há respeito pelos empregados —, poderia se perguntar também: Por que esses gananciosos empresários teriam cuidado com a origem e o processo dos alimentos que você comerá?

Pense nisso.


Leia também:

McDonald's: os arcos dourados da escravidão

McDonald's deve explicações à sociedade

Gênesis de FHC

FHC apresenta seu TCC do “Curço de Injenharia Pulytika á Distanssia”

O significado dos termos esquerda e direita em política

Um comentário: