segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Bertolt Brecht escreve sobre a falta de escrúpulos nas relações pessoais


Bertolt Brecht escreve sobre a
falta de escrúpulos nas relações pessoais

Bertolt Brecht



Como encarar esse tipo de coisa. A velha obrigação de reagir com violência à falta de escrúpulos nas relações pessoais deve, à luz das condições reinantes, ser considerada ineficaz; esse preceito recíproco foi descartado como inútil. Até um amigo chega rapidamente a um ponto em que não tem mais nenhum direito à indignação moral. No que se refere aos artistas, as condições são de tal ordem que toda insuficiência de talento requer e produz seu próprio peso em inescrupulosidade. Por outro lado, a indignação, socialmente uma emoção das mais produtivas, não pode se dirigida apenas contra as condições, uma vez que isto despersonalizaria totalmente as condições, despojando-as da participação humana e tratando-as como se estivessem fora de alcance e não mais alteráveis.

BRECHT, Bertolt. Diário de Trabalho, vol. 2: América, 1941-1947, p. 160-162, 4/11/1942. Org. de Werner Hecht; tradução de Reinaldo Guarany e José Laurenio de Melo. Rio de Janeiro: Rocco, 2005.




Participe das Enquetes (no alto, à direita):
1) Joaquim Barbosa, presidente do STF, praticou crime contra a honra do
ministro Ricardo Lewandowski ao dizer que ele pratica "chicana"?
 
2) Como o #DrToicinho convence o #CoxinhaDeMarca?
Vote (antes que o Dr. Toicinho promova o golpe Paraguaio)



Confira também:

Domínio do fato no julgamento dos outros é refresco – Por Paulo Moreira Leite

Todos os homens do propinoduto tucano - Por Revista IstoÉ

Eles querem tirar uma lasca do Brasil - Por Saul Leblon

Mais um barraco de Barbosa - Por Wálter Maierovitch

Pela auditoria da Dívida Pública

Os dons de políticos do PSDB. Estudo de caso desvenda mistério bicudo

GLOBALIZAÇÃO - de Edward Sousa Bevilacqua

O coração e o cérebro da corrupção. Perguntas da terça-feira que cabem todos os dias

Destucanizar

Ice Tucano 45. O sorvete de R$ 100 milhões

Quanto a mídia tradicional ganhou esses anos todos com o silêncio cúmplice sobre desmandos e malfeitos do PSDB?

A reforma política do Dr. Toicinho - Capítulo 1º das reformas piguianas




Conheça como funciona a Yuan-Mind:

A Guerra de Yuan narra a história de um intrigante personagem do futuro e de um sombrio mundo de autômatos fortemente moldados e cerceados pelos meios de comunicação, cuja função massificadora é claramente ligada à concentração de um poder central nas mãos da Yuan-Mind,  empresa que controla as engrenagens do mecanismo totalizante e esmagador de Yuan.

Nenhum comentário:

Postar um comentário