quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Avanço tecnológico tucano! PSDB pretende concorrer com a Apple lançando #iHiena45 lamentações, com o hit “Oh, dor! Oh, vida! Oh, azar!”


Avanço tecnológico tucano!
PSDB pretende concorrer com a Apple lançando #iHiena45 lamentações,
com o hit “Oh, dor! Oh, vida! Oh, azar!”


Aplicativos e funcionalidades com
 45.000 diferentes entonações para a mesma lamúria


Demotucanos estão furiosos.

“Acabar com a miséria, reduzir juros e tarifas de energia, dar acesso à universidade e ao emprego são ações VERMELHAS! Oh, dor! Oh, vida! Oh, azar!”

Mas agora as cúpulas dos partidos arquirreacionários resolveram reagir, apresentando mais um avanço tecnológico tucano.

PSDB pretende concorrer com a Apple lançando o #iHiena45 lamentações.

O aparelho — já vem com o slogan “Não vai dar certo!”— é repleto de funcionalidades e aplicativos.

O módulo Privatarias foi aperfeiçoado e agora não apenas o Banco do Brasil, a CEF, a Petrobras etc. estão na mira. O próprio Palácio do Planalto estaria fadado à privataria em caso (remotíssimo) de retorno das oligarquias ao poder.

A tecla Calendário agenda os aumento de conta de energia elétrica programados por demotucanos contrariados com as reduções implementadas pela presidenta Dilma Rousseff. Inclusive, já autorizaram aumento nas contas da CEMIG, pois consideram que atendimento de demandas populares é coisa de “Vermelhos!”, ou seja, fora de cogitação para elites de quatro costados.

A respeito de Emendas constitucionais, o repertório é ainda mais patético. Por exemplo, consta como prioridade a “Proibição total do vermelho”, sob as alegações de que “rosa vermelha é conspiração da natureza”, que “PSDB só aceita sangue azul, nada de vermelho de ‘gentinha diferenciada’" e que o “PSDB exige internação compulsória para quem ousar enxergar o vermelho ou usar vestuário dessa cor proibida”. Ademais, decidiu-se pela entrada imediata no STF com uma Adin (Ação direta de inconstitucionalidade) “contra as reduções absurdas de tarifas de energia elétrica, quando o natural é aumentá-las!”

Sobre o desrespeito aos interesses dos rentistas (“Essa gente de bens!”), demotucanos entrarão com representação na ONU (Organização das Nações Unidas) “Contra o jurocídio praticado pela guerrilheira presidente vermelha!, prática funesta contra especuladores de todas as latitudes e longitudes, a mídia e a lógica da senhora Watanabe”.

As funções Operações, Contabilidade e Pontos não sofreram mudanças, apesar do imenso declínio de demotucanos.

Por outro lado, o dispositivo Nojo foi largamente amplificado. Agora, a cólera se dirige não apenas aos bolsistas do ProUni e do Bolsa família, mas “a todos os miseráveis que tiveram a petulância de sair da miséria e aos pobres que ascenderam à classe média, lotando aeroportos e universidades”.

No quesito Repressão aos movimentos sociais e populares, técnicas aplicadas no Pinheirinho (São José dos Campos-SP) foram repassadas por agentes multiplicadores.

O dispositivo Cúpula parece resumir-se à totalidade (só tem chefes), pois definham-se cotidianamente partidos antipopulares.

Do mesmo modo, o botão que acionava prefeitos, deputados, senadores, governadores e magistrados também encontra o mesmo problema de anemia de apoios, exceto o ainda remanescente do Poder Judiciário e sua peculiar intromissão com a judicialização da política, ou seja, “a panacéia contra a anemia de votos populares dos compadres oligarcas, os quais perecem de chofre (a extinção, amigos!) sem nosso suporte”.

Entretanto, PIG 1001 utilidades foi incrementada e intumescida ao extremo, como um balão de oxigênio para o combalido corpo do grupo de reacionários que ainda conta com o oligopólio dos meios de comunicação para fazer aparecer nas manchetes diárias piguianas os interesses vassalos do capital parasita.

Todavia, a adoção de uma Lei de meios de comunicação para democratizar o setor seria a pá de cal num dos últimos bastiões do conservadorismo.

As Linhas 1/2 sofreram baixas significativas, uma vez que a CEF e o Banco do Brasil capitanearam a queda de juros e há três eleições consecutivas demotucanos perdem fragorosamente, com o agravante da altamente provável quarta derrota em 2014.

Gurgel continua sendo o amigo de todas as horas.

Por sua vez, Sem rumo parece expressar da melhor forma possível a completa falta de direção das raquíticas, desmilinguidas e despedaçadas tropas (exíguas) demotucanas.

Concluindo, a maio atração cabe aos Ringtones. O hit “Oh, dor! Oh, vida! Oh, azar!”, que antes aparecia com 45 lamentações, na nova versão apresenta 45.000 diferentes entonações para a mesma lamúria. (Durma-se com um barulho destes!)

Anvisa adverte: assim como Derrotox45®, iHiena45® é de uso exclusivo de demotucanos.


#iHiena45 lamentações
#OhDor
#OhVida
#OhAzar




Confira também:

Lula (filme a ser lançado)

Santa Maria é vítima de capitalismo selvagem

Lula e Dilma X PSDB Apagão. Quanta diferença!

PSDB é a favor de eletrocutar o bolso do povo brasileiro

Enquanto prepostos do Dr. Toicinho discursam contra a redução das tarifas de energia elétrica, contabilistas do PIG demonstram os benefícios nos escritórios da famiglia piguiana

Tempo / Time

Celular do PCC- Primeiro Comando do Capital
Mercenários

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Lula (filme a ser lançado)


Lula (filme a ser lançado)

Atenção, Barack Obama!

Lula (filme a ser lançado algum dia por Steven Spielberg ou outro cineasta) relata os esforços do presidente Luiz Ignácio Lula da Silva (2003-2010) para efetuar no Brasil transformações sócio-histórico-político-econômico-culturais que iniciariam no país a abolição da miséria, a escravidão do século XXI. Enfrentando forte oposição das oligarquias tradicionais — principalmente as encasteladas nos meios de comunicação de massa e conhecidas pela sigla PIG (Partido da Imprensa Golpista) —,  Lula produziu alterações significativas na realidade brasileira ao retirar da miséria mais de 20 milhões de compatriotas, além de promover a ascensão de mais de 30 milhões de pessoas à classe média.
Embora demotucanos tenham ido aos tribunais para impedir a concessão de bolsas do ProUni (alegando tratar-se de inconstitucionalidade o acesso de pobres às universidades) e procuraram evitar das formas mais esdrúxulas a concessão da Bolsa Família (afirmando ser “bolsa vagabundagem”), como também se opuseram enfaticamente às medidas que debilitariam o poder das famílias de quatro costados (ou seja, advogavam em causa própria)—, o presidente Lula permaneceu determinado a aprovar um conjunto de ações no sentido de impedir o descarte por tribunais das emancipações iniciadas em seu governo, pois sentia o imperativo de eliminar a possibilidade de re-miserabilização demandada pelos setores mais reacionários e derrotados seguidamente pelo voto popular.
Mesmo com a hesitação de sua base aliada, Lula soube estrategicamente fazer valer sua posição de grande líder popular e conseguir levar adiante as mudanças requeridas para tornar o Brasil respeitável por sua gente, e, portanto, ser visto de maneira admirável pelo mundo.
Como não apoiou em seu governo o projeto da Lei de meios, cujo objetivo é a democratização da mídia, Lula tornou-se alvo cotidiano de desesperados rola-bostas (assalariados piguianos). Incansavelmente fustigado pela fábrica de crises criada e empreendida pelo PIG, Lula contou com apoio social fundamental para defender-se e não ficar rebaixado como um “pária, sangrando aos poucos”, conforme desejo do príncipe da sociologia tupiniquim FHC, com sua prática mais conhecida como técnica do cangaço de Higienópolis.
Nem mesmo o bombardeio avassalador de demotucano-piguianos foi suficiente para impedir as mudanças que atendiam clamores populares seculares.
Nesse meio tempo, Lula e seus assessores precisaram assegurar os votos necessários no Congresso para garantir legalmente as modificações jurídicas e legais.
Enquanto o antecessor FHC produzia desemprego, miséria, a ida três vezes do país de joelhos de pires na mão para implorar socorro ao FMI (Fundo Monetário Internacional), Lula criou dez milhões de empregos, combateu tenazmente a miséria e quitou as dívidas junto ao FMI, tornando o Brasil credor desta instituição. Adicionalmente, eliminou o risco-Brasil, transformando o país em ancoradouro seguro de investimentos, nacionais e internacionais.
Porque muitos tinham necessidade de emprego entre congressistas e Lula precisava preencher numerosos cargos federais, decisões de caráter popular foram apoiadas por algumas personagens historicamente avessas ao atendimento de demandas notoriamente dos setores mais humildes da sociedade.
Similarmente, Abraham Lincoln (1861-1865) pode dar cabo da escravidão nos EUA, também afrontando a visceral oposição dos escravocratas da época, igualmente apoiados por veículos piguianos do momento com seus rola-bostas ianques.
Assim como Lula pode nomear o primeiro presidente negro do STF. Sem Lula, talvez fossem necessários mais cem anos para isso.
Aqui fazemos um parêntesis: Infelizmente, por ironia da história, coube ao nomeado fazer o papel de protagonista na encenação do processo de judicialização da política arquitetado pelo PIG com o enredo da novela que pretendia engabelar as organizações populares com o intuito de retomar o poder para as organizações piguianas e seus representantes no Congresso, os demotucanos. Apesar do arsenal das oligarquias, todo o empenho piguiano revelou-se embalde. As eleições de 2012 mostrariam que a narrativa piguiana não era convincente, além de ser ostensivamente partidária.
Retomando. Lula e sua equipe não estão dispostos a oferecer subornos monetários diretos para os congressistas, e autorizam agentes para ir calmamente e contatá-los com ofertas de empregos federais em troca de seu voto a favor das leis favoráveis ao povo. Aliás, prática usual da realidade política brasileira, com a diferença básica de que antes o método era aceito e jamais questionado pelo Judiciário, porque atendia aos interesses das classes dominantes e, consequentemente, eram antipopulares.
Lula deve, simultaneamente, supervisionar os esforços para garantir os votos da base aliada, enfrentar o cerco midiático, convencer seus correligionários da partilha de posições (sem a qual os avanços não seriam conquistados), lidar com conflitos de seu próprio partido, dividido entre a determinação de maior velocidade nas mudanças e a compreensão de que acelerar demais poderia inviabilizar os objetivos
Steven Spielberg mostra em seu filme Lincoln (2012) o presidente dos EUA visitando o campo de batalha em Petersburg, Virgínia, onde ele troca algumas palavras com o general Grant. Pouco tempo depois, Grant recebe a rendição do General Lee no tribunal Appomattox.
Mutatis mutandis, Álvaro Dias / Artur Virgílio / Demóstenes Torres — que no século XIX atendiam pelo nome de Fernando Wood e análogos que confortavelmente advogavam técnicas segregacionistas —, permanecem como porta-vozes da intolerância contra a ascensão das classes populares.  
Sabemos que os reacionários continuam em suas tentativas desesperadas de retorno ao poder, as quais são claramente rechaçadas pelo voto popular há três eleições consecutivas.
Lula está ciente que ainda falta muito para a emancipação dos trabalhadores e indica Dilma Rousseff como candidata a sucedê-lo.
Como a extinção da miséria necessita de um conjunto de ações adicionais que viriam a ser implementadas posteriormente com a eleita presidenta Dilma Rousseff (2011-2018), tais como derrubada acentuada dos juros, redução das tarifas de energia, inserção social cidadã mais incisiva etc.) — todas essenciais para tornar o Brasil um país de classe média — do mesmo modo, todas combatidas encarniçadamente por demotucanos, continuamos assistindo aos diários malabarismos de rola-bostas em transformar a realidade em caos constante para tentar convencer o povo de que este é idiota.
Todavia, os brasileiros estão cada vez mais atentos e identificam nos oligopólios dos meios de comunicação a encarnação de interesses diametralmente contrários ao respeito e dignidade do conjunto da população, especialmente aos das classes populares.


Confira também:

Santa Maria é vítima de capitalismo selvagem

Lula e Dilma X PSDB Apagão. Quanta diferença!

PSDB é a favor de eletrocutar o bolso do povo brasileiro

Enquanto prepostos do Dr. Toicinho discursam contra a redução das tarifas de energia elétrica, contabilistas do PIG demonstram os benefícios nos escritórios da famiglia piguiana

Avô do Dr. Toicinho dá um pito na nova geração do PIG

Tempo / Time


Reading Karl Marx with Abraham Lincoln Utopian socialists, Germam communists and other republicans

domingo, 27 de janeiro de 2013

Santa Maria é vítima de capitalismo selvagem


Santa Maria é vítima de capitalismo selvagem

#ExigênciaDeComandasParaSairDeUmPrédioEmChamas? 


Santa Maria é vítima de ganância despudorada e criminosa.

Exigência de comandas para sair de um prédio em chamas?

Horror!

Embalde as pessoas procuram evadir-se.

Mas não podiam deixar a boate Kiss sem pagar a comanda de consumo.

“Primeiro a grana!”, berram os bilheteiros.

 O que vale a vida para esses sujeitos?

“Só pagando para sair!”, vociferam os cobradores.

O que vale a vida para esses indivíduos?

“Tem que pagar! Tem que pagar! Tem que pagar!”

Por que um local inadequado não estava interditado?

Quem será responsabilizado por essa matança?

Abaixo o deus-dinheiro!



#SantaMaria é vítima de ganância despudorada e criminosa. 

#ExigênciaDeComandasParaSairDeUmPrédioEmChamas? 

#Horror

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Lula e Dilma X PSDB Apagão. Quanta diferença!

Lula e Dilma X PSDB Apagão.

Quanta diferença!

Como fica a fábrica de velas do Zé Chirico?






Confira também:


Enquanto prepostos do Dr. Toicinho discursam contra a redução das tarifas de energia elétrica, contabilistas do PIG demonstram os benefícios nos escritórios da famiglia piguiana
http://agenorbevilacquasobrinho.blogspot.com.br/2013/01/enquanto-prepostos-do-dr-toicinho.html

PSDB é a favor de eletrocutar o bolso do povo brasileiro

Que viva Chávez!

Desespero demotucano

Portfolio demotucano

Túnel do tempo piguiano. De volta para as Sesmarias

O Tempo

Mercenários




Conheça como funciona a Yuan-Mind:

A Guerra de Yuan narra a história de um intrigante personagem do futuro e de um sombrio mundo de autômatos fortemente moldados e cerceados pelos meios de comunicação, cuja função massificadora é claramente ligada à concentração de um poder central nas mãos da Yuan-Mind,  empresa que controla as engrenagens do mecanismo totalizante e esmagador de Yuan.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Enquanto prepostos do Dr. Toicinho discursam contra a redução das tarifas de energia elétrica, contabilistas do PIG demonstram os benefícios nos escritórios da famiglia piguiana



Enquanto prepostos do Dr. Toicinho discursam contra a redução das tarifas de energia elétrica, contabilistas do PIG demonstram os benefícios nos escritórios da famiglia piguiana


Contabilistas do PIG demonstram os benefícios da
redução da energia elétrica para o Dr. Toicinho,
que comemora com garrafas de Romanée Conti (safra 1964)


A despeito das imprecações piguianas contra a redução das tarifas de energia elétrica, as empresas do Dr. Toicinho estão fazendo as contas da economia a ser realizada com a medida sancionada pela presidenta Dilma Rousseff.

Enquanto rola-bostas vomitam ladainhas do enredo insosso das desgraças inventadas e anunciadas como o 1001º apocalipse, os contabilistas entregam cálculos informando os benefícios para o caixa das organizações PIG, os quais podem chegar a 32% de abatimento das contas do  mês.

Por coerência, a famiglia Toicinho deveria renunciar à diminuição, mas o cinismo não chega a esse ponto.

Como vivemos em um país democrático, até mesmo os “do contra” irão usufruir dessa subtração nas despesas de energia.

Por outro lado, as empresas piguianas, seus rola-bostas e demotucanos podem renunciar à poupança e transferir os valores para obras de elevado interesse público.

Entretanto, sabemos que os “interesses elevados” das oligarquias se limitam a concentrar renda nas mãos de 5% da população, se tanto.


Confira também:

Que viva Chávez!




Conheça como funciona a Yuan-Mind:

A Guerra de Yuan narra a história de um intrigante personagem do futuro e de um sombrio mundo de autômatos fortemente moldados e cerceados pelos meios de comunicação, cuja função massificadora é claramente ligada à concentração de um poder central nas mãos da Yuan-Mind,  empresa que controla as engrenagens do mecanismo totalizante e esmagador de Yuan.